↑ A B Bourdieu, Pierre (2019) 2

↑ A B Bourdieu, Pierre (2019)

Pierre Félix Bourdieu (/pjɛɾ buʁdjø/) (Denguin, 1 de agosto de 1930 – Paris, vinte e três de janeiro de 2002) foi um dos mais destacados representantes da sociologia contemporânea. Conseguiu meditar a respeito da comunidade, introduziu ou resgatou baterias de conceitos e pesquisou em maneira sistemática, o que costuma parecer trivial como parcela de nossa cotidianidade.

Alguns conceitos chaves de sua suposição são os de “habitus”, “campo”, “capital cultural” ou “organizações”. Ao final de sua vida ficou, por teu compromisso público, em um dos principais atores da existência intelectual francesa. Seu pensamento exerceu uma ação considerável sobre a consciência humana e social, especialmente da sociologia francesa do pós-luta.

  • Citações dos artigos mais polêmicos
  • Argentina-Brasil: Suspenso pela iluminação
  • Páginas por visita
  • Transformação para o freguês
  • 20 coisas que nos realizam atraentes e não são traços físicos

Caracterizou teu paradigma sociológico como “construtivismo estruturalista”; a problemática construtivista tende a decifrar as realidades sociais como construções históricas diárias de atores coletivos e individuais que se sustraen do controle destes atores. Sua sociologia reveladora teve críticos que o acusam de uma típico visão determinista do social. A sua obra é dominada por uma análise sociológica dos mecanismos de reprodução de hierarquias sociais.

Bourdieu enfatiza a seriedade da diversidade cultural e simbólica, esta reprodução e critica a primazia atribuída aos factores económicos, nas idéias marxistas. Quero mostrar que a perícia dos agentes em localização dominante pra firmar suas produções culturais e simbólicas desempenha um papel primordial pela reprodução das relações sociais de dominação.

O que Pierre Bourdieu chama de agressividade simbólica, que define como a capacidade de rejeitar a arbitrariedade da produção simbólica, e, dessa forma, para ser aceito como legítimo, é de extenso importância na sua análise sociológica. O universo social nas sociedades modernas, pra Bourdieu, aparece dividido em o que chama de campos.

Parece, com efeito, que a diferenciação das atividades sociais levou à fabricação de “subespaços sociais”, como o artístico ou o campo político, que se especializam no desempenho de uma definida atividade social. Estes campos têm uma independência relativa na sociedade em seu conjunto e são hierárquicos. Uma concorrência execução vem das lutas sustentadas pelos agentes sociais para ocupar posições dominantes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima