A Chapelaria 2.0 Que Conquista O Mundo Na Internet 2

A Chapelaria 2.0 Que Conquista O Mundo Na Internet

A Rede de Centros SAT, que assistência as pequenas e médias organizações de Astúrias pra vender na internet, o chamado e-Chapelaria. O codinome não podia ser mais apropriado. Combinando blog, site e mídias sociais, Luis Bobes conseguiu-se que a loja de chapéus que herdou de seus pais tenha milhares de seguidores fora de Miami, onde está localizada, e até já de Portugal. Tudo começou em 2007, no momento em que, devido à tua idade, o edifício onde se encontrava a loja desde o começo, na zona antiga de Oviedo, teve de ser abatido.

Diante dessa ocorrência, Luis e tua irmã Elena tiveram que escolher entre fechar absolutamente o negócio ou dar um passo em frente. Optaram por segundo, o que significou abrir 2 locais novos, a toda a hora no centro, e desfrutar o serviço de transporte pra informatizar seus processos de venda e armazenamento, e elaborar uma página da internet. “Em 2008, nós lançamos o e-commerce.

  • 1 Técnicas Tradicionais 4.1.1 Holísticos
  • Se desenvolvem novos padrões de pensamento
  • Tightening up the process for editing “identifying information” for Schemas (phab:T214466)
  • Difusão de mensagens – a partir de dezembro de 2012
  • 6, seis de abril
  • 15:59 horas. Amorim vai em festividade… mas não em Cardiff
  • um Imparcialidade pela tomada de decisões e predisposições comportamentais

Mas a primeira versão foi um fiasco. Não recebemos nenhuma visita. Assim que decidimos criar um web site para entrar em diálogo com os compradores e, desse modo, atrair visitantes pro website”, lembra Bobes. A chapelaria começou a ser publicada em abril de 2009, resultando-se um dos poucos web sites em português especializados no foco. Logo, a bordo, o mesmo Luis se encarrega de atualizar, começou a gerar muito tráfego pro web site e pra aprimorar a tua posição nos motores de busca. Agora mesmo, se a pessoa escreve “chapéus Portugal” no Google, aparecem entre os 10 primeiros resultados, e na semana passada, o blog ultrapassou o meio milhão de visitantes.

a despeito de a origem da maioria delas é nacional, cada vez chegam mais do exterior, especialmente da América Latina -com o México, a Argentina e o Chile para a cabeça-, no entanto também de países distantes como o Japão, Angola ou no Paquistão. Em paralelo ao site, Bobes criou perfil da loja no Facebook, Twitter, Flickr e Pinterest, onde publica imagens de seus produtos e compartilhe notícias e posts sobre o universo do chapéu e da própria chapelaria.

“nós Vendemos em ámérica do Sul e Estados unidos, também atendemos encomendas em França, Itália, Inglaterra e Portugal, contudo não no volume que gostaríamos por causa de a logística é muito cara pra nós”, explica. Além do mais, seria combinar a sua marca com diversas algumas de característica incerta. “Prefiro preservar meus consumidores e continuar marcando meu modo”, remacha.

Não talvez os únicos que não mudemos sejamos nós”, adverte Bobes. “O comércio convencional não vai sumir, em razão de tem a vantagem da proximidade. O que acontece é que nesta ocasião não é sempre que o comprador é posicionado na frente do balcão. Então, temos que evoluir e alterar de mentalidade”. O salto digital de Chapelaria Albiñana tem merecido o reconhecimento de várias instituições. “Nos últimos cinco anos neste instante adquiriu 6 prêmios”, destaca Bobes. O mais importante deles foi o Prêmio Nacional de Comércio Interno, no valor de 5.000 euros, que o Ministério da Economia lhe entregou, em julho passado.

Bobes ganhou também o Prémio de Melhor Iniciativa para o desenvolvimento da Sociedade da Informação em espanha e o Prémio de Melhor Iniciativa Independente, Microempresa e TIC, ambos concedidos pelo Governo do Principado. Além do mais, no ano passado, a loja recebeu a certificação de e-Empresa da Rede de Centros SAT, que mede o grau de maturidade digital atingido por um negócio. Não consta nos registros o dia ou mês exato.

Só se conhece que Chapelaria Albiñana foi fundada em 1924. Originalmente, estava localizada em frente à igreja de San Juan, numa moradia de que hoje só se conserva a fachada. Em 1962, o proprietário se aposentou e passou o negócio pra Mariano Bobes e Elena Costa, pais de Luís.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima