As Lãs Que Vestir As Modelos Da Semana De Moda De Madrid 2

As Lãs Que Vestir As Modelos Da Semana De Moda De Madrid

O Gato Preto traz para o mercado da venda de lã ao peso, até portanto nada tradicional no comércio português. Francisco lembra perfeitamente dos anos de enorme movimento pela loja, quando chegou a trabalhar até cem pessoas e tiveram que ancorar os balcões no chão pra impossibilitar que se venciesen pelo excessivo movimento de pessoas. “Chegavam abundantes contentores de lã diversas vezes por semana”, explica Francisco Coração a ABC. “Havia cerca de 15 adolescentes que se encarregavam de organizar a lã e a loja se construiam longas filas”, complementa.

Ele começou com dezoito anos. Estudava Engenharia de Telecomunicações, mas acabou o negócio de mulher, visto que seus primos se seguiram outros caminhos profissionais. Em insuficiente tempo a loja conseguiu oferecer a seus consumidores um objeto de alta propriedade a um valor incrível e comercializado a peso, “uma coisa que não existia”, destaca Francisco Coração. E, se bem que à primeira visão possa parecer que lã que se vende é a todo o momento a mesma, muda a cada estação.

  • 3 Medidas básicas pra evitar as contaminações cruzadas
  • 1 resposta
  • Baleia assassina: Killer whale
  • 3 Segregação racial da áfrica do sul
  • 5 Ninho de vermes
  • um Resumo do fundamento contra consumir carne

“nós Viajamos muito pras feiras internacionais para dominar as tendências e estar sempre na moda”, diz Mario Coração. Sendo assim não realizam tiragens muito grandes e a cada 6 meses o mostruário é muito diferenciado. Há novas lãs mais clássicas e sempre acessíveis, como a lã para tapete ou o perlé egípcio, “um objeto muito nosso diferencial”, salienta.

O Gato Preto, trata de todo o processo de elaboração da lã, iniciando na compra de matéria-prima, após a sua fiação e os seguintes passos até a sua comercialização. Contam com lojas pela avenida de Penafiel e em Barcelona, onde se descobre a matéria-prima e semiterminada.

“Ao cuidar de todo o método, vamos fabricando segundo se vende”, explica Mario Coração. Económicas e continuou seus estudos nos EUA, A estrutura da loja foi alterado. Agora, pela entrada da avenida do Sal, se conseguem olhar e tocar todos os tipos de lã disponíveis e estão expostas peças de roupa e outros materiais feitos com as lãs.

Antigamente os quilos de lã são armazenados atrás do balcão. “Agora, reduziram os quilos expostos pra poder acrescentar as qualidades e variedades”, explicam os donos. No piso superior descobrem-se as lãs e o percorrer de miúdo destina-se a trabalhos manuais como petit poit ou crochê e as revistas. Souberam destinar-se adaptando-se às mudanças que a nação tem protagonizado. “O momento em que a mulher começa a trabalhar significa uma diminuição relevante da venda de lã, neste instante não tem tempo pra tecer”, lembra Francisco. Além disso, fornecem lã para todos os hospitais, que é usada na reabilitação de doentes, para que executem o serviço com as mãos.

“Temos tido pedidos de todos os designers que passaram pela Semana de Moda de Madrid -a antiga Passarela Cibeles – e as montras das grandes cadeias de roupa”, explica o pai e o filho. Também participam em projectos como “Abrace a sua polvo”A primeira seção de fios de El Corte Inglés, Preciosos, em seus primórdios, criou-se com os produtos de O Gato Preto. Outro dos clássicos desta loja são os cursos que se organizam.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima