"Comecei A Testar Para Ver O Que Se Passava 2

“Comecei A Testar Para Ver O Que Se Passava

Não cabe incerteza de que os animais nos dão simpatia e companhia. Esta adoração incondicional tem um profundo efeito sobre a saúde dos donos. Combatem o estresse, a solidão, cortam a pressão sanguínea, melhoram o humor e, no caso dos cães, instigam a atividade física e as relações sociais no decorrer das horas do passeio.

Ter um animal de estimação é uma grande responsabilidade que, como contrapartida, apresenta certos proveitos. A especial meio ambiente do elo que outras pessoas conseguem marcar com os animais é usada há anos em terapias assistidas. Nelas, terapeutas ocupacionais, psicólogos ou professores utilizam como ferramenta de trabalho, cães, cavalos, gatos ou golfinhos com o foco de construir um clima de trabalho que facilite alcançar os objetivos instituídos. Crianças com autismo, com paralisia cerebral, pessoas com esclerose múltipla ou vítimas de acidentes de trânsito, são alguns dos beneficiários destes tratamentos.

Os especialistas advertem que os animais, se bem lhes permitem entrar com maior praticidade a essas pessoas e acelerar o modo de reabilitação, não são elementos mágicos, eles não curam, simplesmente, ajudam. A Cada segunda-feira pela manhã, José sobe na garupa da América, uma égua que teu terapeuta, Olivia do Rosário, foi escolhido principlamente pra ele”, por causa de ele mexe-se muito e transmite-lhe muito movimento”. José, que há 22 anos foi diagnosticado com esclerose múltipla, começa esse mês o teu segundo ano pela Fundação Cavalo Amigo, onde ele foi pra aprimorar o equilíbrio e ampliar a musculatura. As pessoas que têm animais de estimação têm uma saúde melhor.

Embora não existam muitos estudos sobre a matéria, os poucos que existem apontam que ter um companheiro de quatro patas diminui a tensão arterial, o colesterol, o stress, melhoria das relações sociais. Uma longa tabela de privilégios que tem, além de sua aplicação terapêutica. Hipoterapia, delfinoterapia, terapias assistidas com cães, com pequenos animais ou de fazenda.

Estas atividades são cada vez mais populares no âmbito da integração, da reabilitação, da socialização. Em Portugal, imensas organizações prestam esses serviços, como a Fundação Cavalo Amigo, sita pela região madrilena de Villafranca do Castillo. Lá vêm a semanalmente cerca de 60 pessoas com diferentes condições de receber sessões de equinoterapia, uma possibilidade terapêutica que, a partir do movimento do cavalo, lida com diferentes problemas físicos e mentais. José, de 45 anos, é um dos beneficiários dessa fundação.

“eu Comecei testando para olhar o que se passava. Meu médico na Associação Portuguesa de Esclerose Múltipla me argumentou que a hipoterapia estava indicada no meu caso e eu decidi vir”. As sessões começam com um aquecimento seguido de exercícios específicos e terminam com um nanico passeio. Os lucros não demoraram a se mostrar em teu caso.

“O primeiro dia não aguentei mais de 15 minutos em cima do cavalo. Estava muito cansado. Mas após a segunda terapia, ao montarme no veículo, de imediato senti que o assento estava muito mais relaxado já que ele tinha a parte traseira um pouco mais em linha reta”. José dedica-se à sua doença, de segunda a sexta-feira visto que “é a única forma de preservar-se bem”. As diferenças do leito para a cadeira de montar são óbvias. “Estar ao ar livre e com animais motivá-lo de forma diferente.

nem ao menos diariamente são o mesmo por causa de assim como necessita revelar com o cavalo, que não responde sempre similar”, comenta após premiar a América com umas cenouras. Devido a esta fundação, Célia foi referido um esporte que você “gosta”, todavia que abandonou por pavor de despencar no momento em que, com 18 anos começou a preparar-se na instituição.

  • 8 Os Sims 3: anos 70, 80 e ’90
  • 5 Utilizações em cuidados intensivos
  • 5 Elfo Escuro
  • dois Irradiação em doses médias
  • Preservação de 5 dedos nas pontas
  • frutas Cítricas (limão ou laranja)

“eu Tinha susto de lesionarme e não poder trabalhar e deixei-o. Há insuficiente me falaram nesse centro e me disseram que os cavalos estavam muito bem treinados e eram muito tranquilos e decidi provar”. A sessão de Celia não é estritamente de equinoterapia porém de equitação assistida.

Mas os efeitos psicológicos são evidentes, “oferece-Me autonomia. Você não deve imaginar, não tem que acompanhar. “A grande vantagem de trabalhar com animais é a motivação que geram”, explica Naza Hernandez, terapeuta ocupacional e presidente da Associação Acavall, que fornece terapias com cavalos e cães em Valência. Muitas das atividades que se fazem nas sessões se desenvolvem como numa sala de aula, como aconselhar a alguém quais os passos a acompanhar pra se vestir, “no entanto os resultados são melhores no momento em que trabalhamos junto com o animal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima