Crise Política Na Bolívia De 2019 2

Crise Política Na Bolívia De 2019

américa do Sul, com resultâncias imprevisíveis para a firmeza política de toda a localidade. Em geral, os simpatizantes do movimento de oposição autonomista são os civis, durante o tempo que os simpatizantes do Presidente evo Morales e o Mas costumam ser referidos como os camponeses. O combate registrou uma escalada de hostilidade pela primeira quinzena de setembro de 2008, em que faleceram no mínimo 30 cidadãos bolivianos, em um fato de denúncias de golpes de estado e autogolpes. Uma vez no governo, Morales tomou agora medidas pra permitir que o Estado assumisse o controle da riqueza de gás, ordenou a nacionalização dos hidrocarbonetos.

Simultaneamente, aprovou medidas de distribuição de terras, com o fim de permitir o acesso à terra das comunidades indígenas e camponesas, e aperfeiçoar a sua situação. O presidente evo Morales completou seus medidas básicas de governo com o chamado a uma reforma da constituição da Bolívia pra gerar um novo pacto social.

O triunfo do MAIS e o acesso ao governo de Evo Morales, alterou de raiz as relações de força entre grupos sociais, étnicos e territoriais. No dia dezenove de agosto, nove dias após o referendo revocatorio, os prefeitos opositores dos departamentos da Meia-Lua e Chuquisaca, chamaram um “paro cívico” por tempo indeterminado com bloqueio de rotas contra o governo nacional. Em alguns lugares, a oposição chamado pra tomar as instalações e serviços do governo nacional.

Os prefeitos opositores ameaçaram que, no caso de que o governo não ceda às tuas reivindicações, interrumpirían o fornecimento de gás para a Argentina e o Brasil e os trajetos internacionais pra Argentina e Paraguai, afetando gravemente o equilíbrio internacional. Em incontáveis lugares onde ocorreram confrontos entre manifestantes e forças de segurança e, em Beni, os grupos opositores intimaron as forças de segurança nacionais, a ser posto sob o comando do prefeito lugar. Em resposta, o Presidente Evo Morales determinou que as forças armadas defender as instalações gasíferas e gasodutos, e denunciou a oposição por tentar um golpe de estado civil”.

O embaixador Goldberg explicou que a reunião não foi secreta, e que a mesma só tinha dado apoio às Olimpíadas Especiais e pra cooperação tecnológica para a Expoteleinfo. O combate registrou uma dramático escalada terça-feira, nove de setembro, quando os autonomistas, liderados pelos prefeitos da Meia-Lua, tomaram as instalações e edifícios do governo central localizadas nas regiões rebeldes.

em 10 de setembro, um grupo de oposição fechou uma válvula de passagem do maior gasoduto, achado em Tarija, provocando a eclosão do mesmo, e afetando substancialmente o fornecimento de gás para o Brasil, durante inúmeras semanas. Simultaneamente comandos civis opositores, tomaram as instalações gasíferas de Volta Grande, no departamento de Chuquisaca, afetando o fornecimento de gás para a Argentina. O governo nacional qualificou o ataque como um “feito terrorista”. Eles me acusam de usar grupos de choque, quando todo mundo sabe que esses camponeses socialistas, esses falsos camponeses, estavam armados.

Com o passar dos dias, começou a sobressair-se que seriam diversos mais os camponeses vítimas no massacre de Pando, estimado em no mínimo trinta pessoas mortas e mais de cem desaparecidos. Os camponeses, vários deles masistas, garantem ter sido emboscados por funcionários da prefeitura de são paulo, no momento em que se dirigiam a Acolhe a apoiar o governo nacional.

  • É permitido anexar assunto comunista
  • para Servir a nação com produtos úteis e em condições justas
  • Vencer a incerteza
  • Estratégia nacional pro desafio demográfico
  • 252 (discussão) 11:Dezoito vinte e dois abr 2016 (UTC)

Os autonomistas dizem que foram os camponeses que iniciaram o confronto, utilizando armas de fogo e fogos de artifício com dinamite. O evento de que os eventos podem pesquisar-se numa área isolada, fora do alcance da imprensa independente, fez com que os mesmos não fossem conhecidos em um primeiro instante. Com o ir dos dias foram surgindo extenso quantidade de rumores, versões e testemunhos sobre o assunto como ocorreu a matança e a magnitude da mesma. A investigação do massacre ficou a cargo da Procuradoria-Geral e de uma Comissão Internacional de UNASUL.

no mesmo dia, o Presidente Evo Morales expulsou do estado o embaixador norte-americano Philip Goldberg, acusando-o de apoiar as mobilizações se opondo em prol das comunidades departamentais e se intrometer em tópicos internos da Bolívia. Em poucos dias, o Presidente norte-americano George W. Bush, incluiu a Bolívia na “lista negra” do tráfico de drogas, ao crer que o Estado boliviano tinha falhado em sua colaboração na hora de combatê-lo. O Presidente Evo Morales qualificou a quantidade como uma retaliação norte-americano pela expulsão de seu embaixador.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima