Dez Anos De Minecraft, O Jogo Que marcou Uma data 2

Dez Anos De Minecraft, O Jogo Que marcou Uma data

Minecraft cumpre hoje dez anos. Foi em 17 de maio de 2009, no momento em que o programador sueco Markus Persson, mais denominado como ‘Notch’, publicou a primeira versão do que é provavelmente o jogo mais respeitável e influente da última década. Poucos tivessem antecipado o sucesso estrondoso que, nesse universo, formado por blocos de cores acabaria tendo.

Com o tempo, Minecraft transcende a tua condição de jogo para se tornar um fenômeno da cultura popular. Sua união de navegação, pesquisa de recursos, sobrevivência e criatividade tem infinitas possibilidades, uma característica que, por sua vez, contribuiu pra consolidar uma nova maneira de ingerir jogos de video através de plataformas como o YouTube. Minecraft é um dos primeiros jogos que não se entenderiam sem os milhares e milhares de vídeos de “Let’s Play”, que foi estrelado, contudo não sem a tua fiel comunidade de seguidores.

Além de suas duas mecânicas principais, minar e “craftear” (o que viria a ser produzido), a característica que talvez explique o sucesso de Minecraft, é a independência que fornece ao jogador. Ao invés de contar uma história, com objetivos e de direcionar o usuário com tutoriais, o jogo tem o estímulo de deixá-lo a seu livre arbítrio. Permitir lançar-se à aventura, pra satisfazer a inevitabilidade humana de formar, de que cada usuário se invente tuas próprias histórias explica, em extenso medida, como é possível que o jogo de ‘Notch’ tenha calado em tantos jogadores. Coincidindo com o décimo aniversário do jogo, Mojang lançou gratuitamente a versão original do Minecraft.

Em outra ordem de coisas, Miss Maçã, eu amaria de perguntar que dejases de intrometer-se em temas relacionados com a minha pessoa. Eu pergunto -retóricamente, claro – para onde nos leva tudo isso. Porque, se uma pessoa declara que existe a dupla vara para determinar ações, é acusado de presumir má-fé. Se sinaliza que os bibliotecários se comportam como uma empresa cubríendose uns aos outros os erros, é presunção de má-fé. Se acredita que a maioria das dificuldades de convivência na Wikipédia nascem de bibliotecários, é um míope. Se quem intervém pela denúncia poderá recusar quem opta, eu tenho uma longa lista de “recusados anteriores”.

Tivesse esperado que um bibliotecário imparcial e não um amigo de BetoCG como Laura, resolvesse minha reclamação na TAB. Não não é bom ter amigos, todavia é um dificuldade ser tão camarada ou tão insuficiente conhecido de alguém, como pra não poder apontar um defeito evidente. Um pretexto mais pra apontar o que se gesta em sites externos, como o IRC.

a Minha intenção com isso é que se tome uma decisão: ou se modificam as políticas pra que se legitime a conduta usual de quem, teoricamente, precisam fazê-las executar, ou deixá-los como estão e se começa a cumprir. A segunda opção só pode ser levada a cabo com um potente sistema de controle dos bibliotecários: RECABE é, na atualidade, julgada improcedente. Deixo isso nas mãos da comunidade e não no Quadro de Bibliotecários, por razões óbvias.— JJM — mensagens. Um problema com ligação a isso, na minha avaliação, é que nós precisamos mudar de posição, à capacidade que o tempo passa, como se fossem ondas.

Agora, a tendência parece que está revertendo, e parece que começa a crer-se que o julgamento das ações é qualificar a pessoa. Em final, eu acredito que é lógico que as regras vão mudando. Mas se mudam é pelo motivo de não podes existir, quem sabe, uma localização comum sobre o foco, pro que teria que ser cuidadosos na hora de resolver administrativamente ocorrências como as que nos ocupam. Olá a todos os wikipedistas, abro esta seção para aconselhar restringir as edições vandálicas por fração das IP, como essa de acontece na wikipédia portuguesa, utilizando o sistema de captcha, para a confirmação da edição consumada.

Pois não possuo idéia, eu acho que teria que perguntar pra secção Técnica. Como havia comentado, não tenho dúvida que porque a comunidade parece pronta, é hora de começar a botar o guizo no gato e começar a definir ou esclarecer novas políticas que parecem ambíguas. Existe um tempo -você vai ver que não se precisa somente às denúncias novas do quadro, está dando uma ocorrência de reclamações, dificuldades e perguntas relacionadas com o tema de certas páginas de usuário.

  • Atualização FAQ
  • M. Termo ou por tempo acordado para alguma coisa
  • 24 Ricky Matut
  • Propostas de ação
  • com Base no futuro FarCry 3 da Ubisoft

Como eu comentou ontem à noite no mural, terminei de estabelecer uma subpágina de usuário de um modelo de votação|enquete ou o que lhes pareça pra elucidar de uma vez este ponto. É um tanto extensa, entretanto acredito que abrange quase tudo o que foi discutido do tópico-no mínimo foi o que eu me lembro que você falou-. Convido-os a atravessar por lá e fazer todas as mudanças ou informações que lhes pareçam adequadas.

Secundo a iniciativa de Andrea de “colocar o guizo no gato”. Talvez a sua proposta exige diversos ajustes; quem sabe convenha ser mais específico, visto que nesta primeira tentativa de rascunho de Andrea subsistem problemas de descrição (no entanto para isso é uma proposta aberta). Mas indo ao incidente pontual que aciona novamente esta questão, estou firmemente convencido de que nenhuma página da Wikipédia tem que ser um carro pra propaganda nazista (e certamente outros editores têm preocupações semelhantes). Estou seguro de que, se pela minha página, inclua acríticamente e em forma proeminente a citação de Kropotkin “A única igreja que ilumina é a que arde”, se levantariam legítimas vozes de protesto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima