Magro Cantu, Glória M. (2019) 2

Magro Cantu, Glória M. (2019)

Em 1946, com o encerramento da segunda disputa mundial, as exportações dos Estados unidos para o México aumentaram consideravelmente, tendo como repercussão um saldo desfavorável pro Banco de México e suas divisas, gerando um recurso de inflação. Todavia, até 1948, as importações seguiram crescendo do mesmo jeito a inflação, gerando um desequilíbrio pela balança de pagamentos do México. O gasto público foi destinado durante o mandato para incentivar o crescimento económico, à custa de diminuir o gasto em bem-estar social.

O paradigma é precedido pelo padrão de Substituição de Importações, mesmo que resguardando os principais pontos para a promoção deste. 1. Elevar o grau de existência da população, principlamente dos camponeses, operários e certos setores da classe média. 2. Continuar a acrescentar a renda nacional. 3. Acelerar o recurso de diversificação de atividades produtivas pela economia. 4. Avançar no modo de industrialização, dando preferência pras indústrias básicas. 5. Alcançar um desenvolvimento regional mais equilibrado.

Desvalorização do peso frente ao dólar, em 1954, com uma nova paridade de 12.Cinquenta pesos por dólar. Aumento de crédito ao setor privado, mediante o financiamento de bancos públicos. Se mobiliza fortemente a criação de bens intermediários e começa a incentivar a criação de bens de capital. De 1940 a 1956 é dada no México um estágio de crescimento pra fora, fundado no dinamismo do setor primário.

  • Responsabilidade social corporativa
  • Como fazer Marketing Digital
  • Israelofobia e palestinofilia: os rumos do ódio
  • MELHORES MOMENTOS Da temporada
  • 6 Política sócio-sanitária
  • Promova sua página em todos os lados

Esta política poderá ser acordada como o progresso sem desenvolvimento, já que o número de indústrias do país. Durante o mandato de Ávila Camacho (1940-1946) observou-se uma notável firmeza política e o crescimento económico. Entre 1940 e 1945, o PIB cresceu a um ritmo de 7.4%, índice nunca antes alcançado na fase pós-revolucionária.

Os regimes presidenciais de Manuel Ávila Camacho, Miguel Alemán Valdés proporcionaram os meios pra incentivar o avanço econômico, a consolidação do mercado interno e a colocação do México na economia mundial. A atividade industrial registrou um desenvolvimento vigoroso. Em vinte e sete de setembro de 1960, nacionalizou a indústria elétrica e foi desenvolvido o organismo descentralizado denominado “Companhia Mexicana de Luz e Força” ou Empresa de Luz e Força.

Assim, a geração de energia elétrica, até em vista disso controlada por corporações estrangeiras, como The Mexican Light and Power Co., passou para as mãos do governo. Além disso, foi decretado o justo do trabalhador, sobre isso uma cota dos ganhos. Também se estabeleceu que os trabalhadores receberiam um bônus no final de cada ano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima