Meu Animal É De Raça Pura 2

Meu Animal É De Raça Pura

Para começar, este post é sensacional relevar a diferença que reside entre a esterilização e castração. São dois conceitos que costumam ser associados, mesmo estes, indiferentemente, como se as expressões fossem sinônimos. Isso não é desta forma e nesta ocasião vamos ver de perto por que. A esterilização é uma operação acessível, em que se exerce as ligaduras de trompas (fêmeas) ou a vasectomia (machos). Em ambos os casos, a operação é reversível e se continuam a manter as condutas sexuais. Quer dizer, as fêmeas continuarão a ter o cio e os machos continuam buscando as fêmeas em tais períodos. Portanto, não há variação hormonal pro animal. A castração, em contrapartida, consiste na extirpação dos órgãos reprodutores.

Isso permite que as fêmeas deixam de ter o cio e os machos não se voltem para as fêmeas. Sem espaço a perguntas, a castração é o modo recomendado por veterinários, associações e especialistas. Se temos a nossa fêmea castrada nós estamos economizando sérios e primordiais problemas de saúde que até poderia pegar-lhe a vida, se permitirmos. Vejamos a acompanhar uma série de mitos e realidades sobre isto.

  • = Terrier nação de Gales
  • Greyhound Italiano
  • 5 Qual o Leite que Você Pode Lhes Dar
  • Roberto Uriarte: ‘O Povo é quem mais necessita preocuparle Podemos’
  • Aeróbio e anaeróbio alternativo
  • três gata tricolor errada
  • 66 Bull Terrier

Não me parece correto pegar o prazer sexual para o meu animal: Mito. Daí que só têm relações sexuais em épocas específicas do ano. É uma inevitabilidade mais como o ingerir e o ingerir, e desse modo, não estaremos tirando o que na realidade não têm. Se o castro vai ganhar peso: Mito Independentemente de estar castrado ou não, um animal com a alimentação adequada não engordará. Se o animal antes da castração agora tem tendência a ganhar peso, o veterinário lhe dará orientações de refeição saudável, que lhe permita impedir que sofra as conseqüências da obesidade.

eu Quero possuir uma construção de meu cão e/ou gato/a: Realidade. Obviamente, isso é uma realidade, não vamos convencê-lo de que está incorreto/a, mas se vamos explicar de forma resumida, que nenhum filho de teu animal vai ser a sua cópia. Olvídelo. É regular que queira prolongar o mais possível e para sempre a vivência desse animal que aparecia. Pra você, não haverá outro idêntico a ele, é verdade.

Deste jeito, não procure expressamente substituí-lo por outro de teu sangue. Não tenho o direito de privarles o que lhes deu a meio ambiente: Depende. Para perguntar se temos ou não tal correto, primeiro temos que cumprir as obrigações. Por outro lado, o ser humano vem sendo igualmente dotado pela Natureza pra se reproduzir, e em troca faz sobre o assunto si mesmo o certo a não fazê-lo mediante o exercício abundante de métodos contraceptivos. Não exijas pra outros o que você tem rejeitado, pra si mesmo, pelo menos não com esse fundamento.

Nos dias de hoje, se você conta com a hipótese de evitá-lo, nenhuma mulher tem tantos filhos como idade fértil (um por ano) e nenhum homem for solicitado. A Natureza e/ou Deus são ditou as mesmas leis pra todos. Meu animal é de raça pura, e as suas crias nunca serão abandonadas: Mito. Neste caso, um de cada quatro irão parar a uma rua, canil ou abrigo, portanto, tente outro argumento. Eu me responsabilizaré das crias: Mito.

Ninguém duvida, contudo atenda a isso: você terá uma ninhada que dará a pessoas próximas e de convicção. Cada uma destas pessoas tem o mesmo justo de desfrutar da mesma ilusão, e continuam montando. Reflita. Ao cabo de 5 anos, um gato e um cão deram local a 33.812 animais, que com toda segurança de 90%, quer dizer, 30.430, terão morrido em canis, bermas, disputas de cães, envenenados, mutilados, etc

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima